Voltar

20/01/2014 - Projeção da inflação anual de 2014 medida pelo IPCA fica em 6,01%

Para 2015, a estimativa subiu de 5,50% para 5,60%, de acordo com a pesquisa semanal do Banco Central. Previsão de crescimento do país também aumentou

A projeção de instituições financeiras para a inflação em 2014, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), passou de 6% para 6,01%. Para 2015, a estimativa subiu de 5,50% para 5,60%, de acordo com a pesquisa semanal do Banco Central (BC), divulgada às segundas-feiras.

As projeções estão distantes do centro da meta de inflação, de 4,5%, e abaixo do limite superior de 6,5%. Cabe ao BC fazer com que a inflação convirja para o centro da meta.

Um dos instrumentos usados pelo BC para influenciar a atividade econômica e, por consequência, a inflação, é a taxa básica de juros, a Selic. Para as instituições financeiras, a taxa – que começou 2014 em 10%, deve fechar o ano em 10,75%. No último dia 15, o Comitê de Política Monetária (Copom) elevou a Selic em 0,5 ponto percentual para 10,5% ao ano.

Para 2015, as instituições financeiras acreditam que a Selic voltará a subir. A previsão para o final de 2015 é 11,5% ao ano.

A pesquisa do BC também traz a mediana das expectativas para a inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (IPC-Fipe), que foi mantida em 5,45%, este ano, e em 5%, em 2015.

A projeção para o Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI) foi alterada de 5,92% para 5,90% este ano, e mantida em 5,50% em 2015. Para o Índice Geral de Preços de Mercado (IGP-M), as projeções foram ajustadas de 6% para 5,96%, em 2014, e seguem em 5,50% no próximo ano.

A estimativa para o crescimento da economia (Produto Interno Bruto – PIB) foi ajustada de 1,99% para 2%, em 2014, e de 2,48% para 2,50%, em 2015.

Quanto à cotação do dólar, a expectativa das instituições consultadas pelo BC segue em R$ 2,45, ao final de 2014, e passou de R$ 2,47 para R$ 2,50, no fim do próximo ano.

Focus eleva previsão de crescimento do País em 2014

A previsão de crescimento da economia brasileira em 2014 subiu de 1,99% para 2,00%, de acordo com a pesquisa Focus do Banco Central divulgada nesta segunda-feira, 20. Para 2015, a estimativa de expansão passou de 2,48% para 2,50%. Há quatro semanas, as projeções eram, respectivamente, de 2,00% e 2,50%.

A projeção para o crescimento do setor industrial em 2014 foi mantida em 2,20%. Para 2015, economistas preveem avanço industrial de 2,89%, ante 3,00% da pesquisa anterior. Um mês antes, a Focus apontava estimativa de expansão de 2,23% para 2014 e de 2,95% em 2015 para o setor.

Os analistas reduziram a previsão para o indicador que mede a relação entre a dívida líquida do setor público e o PIB em 2014 de 34,95% para 34,80%. Há quatro semanas, estava em 34,70%. Para 2015, segue em 35,00% há cinco semanas.

Aposta em câmbio de R$ 2,45 no ano é mantida

A mediana das projeções para a taxa de câmbio ao final de 2014 segue em R$ 2,45 nas estimativas dos analistas consultados na pesquisa Focus, realizada pelo Banco Central. Há quatro semanas, a projeção era de R$ 2,45. Para o fim de 2015, a mediana subiu de R$ 2,47 para R$ 2,50. Há quatro semanas estava em R$ 2,45.

Na mesma pesquisa, o mercado financeiro elevou a previsão para a taxa média de câmbio em 2014 de R$ 2,40 para R$ 2,41. Para 2015, a projeção passou de R$ 2,44 para R$ 2,45. Há um mês, a pesquisa apontava que a expectativa de dólar médio estava em R$ 2,40 neste ano e no próximo. A pesquisa também mostra que, para o fim de janeiro de 2014, a estimativa segue em R$ 2,36. Para fevereiro, segue em 2,37. A mediana das projeções para o câmbio dos analistas do Top 5 médio prazo para o fechamento de 2014 segue em R$ 2,50. Para 2015, subiu de R$ 2,43 para R$ 2,58.

Fonte: Gazeta do Povo, de 20/01/2014.

Voltar

(41) 3322-4811
(41) 8830-3311

sercopar@sercopar.com.br